22 dezembro 2007

I have a dream...

Podem chamar-me de louca, visionária, fora da realidade ou quaisquer outros adjetivos, mas eu sonho sim com várias coisas...e como eu desejo essas coisas.
Uma vida nova, cheirando a seda passada, mas preservando as coisas que mais prezo no mundo:
Os domingos preguiçosos;
Sexta-feiras cheias de risadas de amigos;
Beijar sentindo o frescor e o gosto da chuva;
Dormir no colo ou fazer dormir acariaciando a pele do outro;
O silêncio gostoso quando a gente chega em casa depois de um dia "daqueles";
Um perfume gostoso e conhecido no travesseiro e que nao é confort rsrsrsr;
Comer toblerone de madrugada lembrando algo fantástico;
Presentes sem data;
Tempo suficiente para ler atá enjoar;
Fazer as pazes depois de uma discussão boba;
Receber o telefonema de uma amigo querido e ausente.
I have a dream...rsrsrs

Beijos cheios de felicidades a todos os amigos e que o próximo ano possa trazer de encontro a todos nós os nossos maiores sonhos e os desejos mais desesperados de nossas almas...
Mas se não for assim, que tenhamos maturidade e tranquilidade para nos contentarmos com os pequenos momentos felizes que a vidinha do dia-a-dia nos presenteia.
E que nesses momentos possamos encontrar a paz e, talvez, apenas por alguns segundos, possamos tocar de leve, com a ponta dos dedos, o infinito...
{red angel} _GUARDIÃO

21 dezembro 2007

Como diria Victor Hugo...

Desejo
Desejo primeiro que você ame,
e que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim.
Mas se for, saiba ser sem se desesperar.
Desejo também que tenha amigos,
que mesmo maus e inconseqüentes,
sejam corajosos e fiéis.
E que em pelo menos em um deles
você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim...
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos.
Mas na medida exata para que
algumas vezes você se interpele
a respeito de suas próprias certezas.
E que entre eles
haja pelo menos um que seja justo.
Desejo depois, que você seja útil,
mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
quando não restar mais nada,
essa utilidade seja suficiente
para manter você de pé.
Desejo ainda que você seja tolerante.
Não com os que erram pouco,
porque isso é fácil.
Mas com os que erram muito e irremediavelmente.
E que fazendo bom uso dessa tolerância
você sirva de exemplo aos outros.
Desejo que você, sendo jovem,
não amadureça depressa demais.
E que sendo maduro,
não insista em rejuvenescer.
E que sendo velho,
não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor.
Desejo, por sinal, que você seja triste.
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia
descubra que o riso diário é bom,
o riso habitual é insosso
e o riso constante é insano.
Desejo que você descubra,
com o máximo de urgência e
acima e a respeito de tudo,
que existem oprimidos,
injustiçados e infelizes.
E que estão bem à sua volta.
Desejo ainda
que você afague um gato, alimente um cuco
e ouça o joão-de-barro
erguer triunfante o seu canto matinal.
Porque assim, você se sentirá bem por nada.
Desejo também
que você plante uma semente, por menor que seja,
e acompanhe o seu crescimento.
Para que você saiba
de quantas muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,

porque é preciso ser prático.

E que pelo menos uma vez por ano

coloque um pouco dele na sua frente e diga:

"Isso é meu!!".

Só para que fique bem claro

quem é o dono de quem.

Desejo também

que nenhum de seus afetos morra.

Por eles e por você.

Mas que se morrer

você possa chorar sem se lamentar

e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que

você sendo homem,

tenha uma boa mulher.

E que sendo mulher,

tenha um bom homem.

Que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes.

E quando estiverem exaustos e sorridentes

....

ainda haja amor pra recomeçar.

E se tudo isso acontecer...

....Não tenho mais nada a lhe desejar.

Victor Hugo

11 dezembro 2007

E a vida continua...

Mensagem do meu Anjo - Amor que não se revela
By Paulo Roberto Gaefke em 08 de Outubro de 2007
O amor que não se revela, é o amor da entrega,
é a paixão que por vezes chega a doer,
congela a alma e o tempo,
deixa marcas profundas.
É o amor da certeza, que não hesita,
que vai sem medo, que encontra direção,
é o que flui no íntimo e brota do coração,
sem forma definida, sem explicação,
você sente, você deseja, você quer,
e isso não tem lógica ou razão,
é simplesmente amor.
Por isso, se até agora não deu certo,
se os relacionamentos fracassaram,
se o sonho desandou antes de começar,
é porque ainda não nasceu esse amor que não se revela,
amor que não se diz, que não existe palavra para definir,
amor que não depende do seu sim,
você não tem que aceitar,
ele é,
chega,
se instala e pronto.
Por isso, nesse seu caminho,
não derrame tantas lágrimas pelo que não foi,
antes, busque o amor que não se revela,
pois mesmo que ele não aconteça,
ele será a sua marca, o termômetro do amor,
marca indefinível do sentimento guardado,
expressão definitiva do que é amar
para viver ou levar como bagagem.
Que você possa viver um amor que não se revela,
que aproxima almas eternas,
que se conhecem além do tempo
e poder dizer por onde for,
eu conheço o amor.
Eu acredito em você.

26 novembro 2007

Aos que ficaram...

"Morrer é apenas não ser mais visto;
Morrer é a curva da estrada."
Fernando Pessoa

16 setembro 2007

Loucura?

"O amor é meramente uma loucura e, na minha opinião, merece uma casa escura e um chicote, como os loucos; a razão pela qual os amantes não são assim punidos e curados é que a loucura é tão comum que os homens do chicote amam também."
Willian Shakespeare

10 setembro 2007

Garimpando beleza...

Tenho Fome

Tenho Sede

Eu não posso te pertencer

Mas cada parte do meu corpo chama Teu Nome

Provar Teus pensamentos

Lamber Teu gozo...

Respirar entre Tuas coxas

Cheirar Teu corpo

Para escrever

EU TE IDOLATRO

Usando todas as expressões para me dar

Em Teus braços encontrar meu alimento

Deixa eu Te servir de capacho

Acariciar Seu corpo

Penetrar e satisfazer Teus desejos

Até saciar Teu fogo

Deixe-me beber Tua porra

Para sentir Seu gosto de homem escorrendo em mim

Provocando somente o Seu delírio

Assim me fazendo feliz como ninguém jamais fez

Eu não posso nada além de esperar

Eu não posso nada além das noites de espera

Deixe-me matar minha sede de ti...

{Draak(humilde gotika)}

The Secretary

Um conto de fadas (ou de bruxas) BDSM... Quem nunca sonhou que atire a primeira pedra.^^

18 agosto 2007

O Amor

Algumas coisas são tão belas que dispensam comentários.

E alguém disse:

Fala-nos do Amor:

- Quando o amor vos fizer sinal, segui-o;

ainda que os seus caminhos sejam duros e difíceis.

E quando as suas asas vos envolverem, entregai-vos;

ainda que a espada escondida na sua plumagem

vos possa ferir.

E quando vos falar, acreditai nele;

apesar de a sua voz

poder quebrar os vossos sonhos

como o vento norte ao sacudir os jardins.

Porque assim como o vosso amor

vos engrandece, também deve crucificar-vos

E assim como se eleva à vossa altura

e acaricia os ramos mais frágeisque tremem ao sol,

também penetrará até às raízes

sacudindo o seu apego à terra.

Como braçadas de trigo vos leva.

Malha-vos até ficardes nus.

Passa-vos pelo crivo

para vos livrar do joio.

Mói-vos até à brancura.

Amassa-vos até ficardes maleáveis.

Então entrega-vos ao seu fogo,

para poderdes ser

o pão sagrado no festim de Deus.

Tudo isto vos fará o amor,

para poderdes conhecer os segredos

do vosso coração,

e por este conhecimento vos tornardes

o coração da Vida.

Mas, se no vosso medo,

buscais apenas a paz do amor,

o prazer do amor,

então mais vale cobrir a nudez

e sair do campo do amor,

a caminho do mundo sem estações,

onde podereis rir,

mas nunca todos os vossos risos,

e chorar,

mas nunca todas as vossas lágrimas.

O amor só dá de si mesmo,

e só recebe de si mesmo.

O amor não possui

nem quer ser possuído.

Porque o amor basta ao amor.

E não penseis

que podeis guiar o curso do amor;

porque o amor, se vos escolher,

marcará ele o vosso curso.

O amor não tem outro desejo

senão consumar-se.

Mas se amarem e tiverem desejos,

deverão se estes:

Fundir-se e ser um regato corrente

a cantar a sua melodia à noite.

Conhecer a dor da excessiva ternura.

Ser ferido pela própria inteligência do amor,

e sangrar de bom grado e alegremente.

Acordar de manhã com o coração cheio

e agradecer outro dia de amor.

Descansar ao meio dia

e meditar no êxtase do amor.

Voltar a casa ao crepúsculo

e adormecer tendo no coração

uma prece pelo bem amado,

e na boca, um canto de louvor.

Khalil Gibran

12 agosto 2007

A Representação dos Meus "Eus"

A Representação dos Meus "Eus"
By Bela {LD}
Transformo-me nos teus quereres.
Esqueço de minhas formas
e moldo-me à mercê de teus instantes.
Ainda estou aqui.
Sei quem sou e o que quero,
mas permito-me mutar-me
para sermos nós em Ti.
Meu relógio conta as Tuas horas.
Faleço à cada partida Tua.
Renasço a cada sorriso Teu.
Vivo de adorar-te.
Mesmo perdendo-me.
Programo-me para não sonhar..
..podes não estar em meus sonhos.
Mantenho-me atenta, acordada.
Preparada para Teus caprichos que não vêem.
Cada sussurro Teu,
ecoa em mim como rugidos
que amedrontam-me,
devoram-me,
cegam-me para o mundo,
mas me aproximam de Ti.
Pertenço-Te.
Sou o nada se Tu quiseres,
assim como posso ser o tudo,
para Teus caprichos.
Sou Tua argila,
que molda-se para Teu prazer,
para que transformes no que te irrita,
no que odeias,
no que ignoras,
no que desprezas,
mas que amas...
do Teu jeito,
da Tua forma,
com Teus mistérios..
que não desvendam-se para mim,
mas permitem-me ser muitas formas...
Todas elas criação Tua.
Bela {LD}

07 agosto 2007

Metamorfus.



Metamorfus
Eis-me então...

perante minha caixa de Pandora.
Que sei ser abrigo de muitas e tantas dores e desejos.
Tão...
etéreos,
natos,
eternos...
Em mim.
Falsamente, propositalmente, medrosamente,
melindrosamente, inconseqüentemente,
a caixa fez-se esquecida
mas,
enfim é aberta agora.
Trazendo suas dores, luxúrias e mistérios.
O descerrar de sua tampa foi ação por tantas vezes adiada
e tantas vezes temida.
Entendo agora:
Apenas desnecessária fuga de minha natureza, do que habita em mim.
E se fazem libertos, independentes, maduros...
Meus desejos de pertencer, ser Tua ermida.
Se concretizam, me tomam, me guiam e me levam a Ti.
A mente, embora bem mais leve,
ainda vê-se obrigada a servir de casa.
Ainda flutuam fantasmas de medo, mesmo que meio esquecidos.
Mas eles correm, se escondem, enfraquecem ...
Perante aquele do qual faço parte,
daquele que me elegeu, me escolheu,
daquele que possui o brilho nos olhos que me tomam,
engrandecem, envaidecem.
Dúvidas, opiniões, ideais, rótulos, inseguranças,
preconceitos, incertezas, medos, ...
Sinto seus significados sumirem de pronto. Não me importo mais com "tipos",
delicadezas, jogos, embustes.
Sou eu, apenas eu,
e fico, me calo, me deixo, me abandono
a Ti.
Os ventos e brumas libertos envolvem
O corpo, o ar, a alma, os sexo, a mente, os ossos, os olhos.
Somente agora revelam sua mais forte magia.
Nada diminuem, disfarçam, encobrem.
Nada anestesiam, enganam.
Nada mascaram, mentem, escondem.
A tempo tomam a verdade por cega e certeira guia.
Me sinto exposta, olhada, vergada,
intimidada, farejada, caçada, explorada.
Apenas Teus olhos e já sou desnudada.
A carne treme e entendo, é meu medo pelo meu desejo.
Temo mas desejo!
Temo meu desejo...
Desejo poder ser o que sou, quero nascer.
Sinto que o ar ioniza.
A espera é prazerosamente sofrida, degustada e vivida.
Apenas espero como calada, solitária, fria semente que,
antes do sol, nada sente.
Apenas espero como temerosa, excitada,
resfolegante presa caída que morre.
Vegetal imóvel que se desespera e sofre pela poda eminente.
Pena leve, preguiçosa, escarlate que em línguas de fogo se consome.
O toques,
tranqüilos porém fortes...
...Absolutos em toda sua delicadeza,
cegos em toda sua luxúria e desejo.
Tornam-se cálido desejo que traz vida.
E a semente enfim liberta-se do solo-morada,
pedregoso, gélido... Prisão.
Enxerga finalmente em cores e sons o lugar que desde sempre habitou.
No solo conhecido, profundo, púmbleo, gélido e seguro
porém, morto abrigo, nunca conheceu paixão.
O animal,
quase desfalecido,
fraco, mas vivo...
para, relaxa enfim, sente que sorri.
Sente e presente:
há um porque digno em tombar ali.
Tentou, lutou, correu, fugiu,
com honra, destreza.
Mas em paz agora aceita o inevitável destino:
ser ao final apenas o que nasceu para ser...
Presa.
Em outro canto da mente...
Sinto a dor e o frio de uma lâmina a cortar,
minha seiva a se esvaecer.
Mas tudo é tão rápido mesmo dorido e indesejável...
E apenas se vê caído, cortado, podado
tudo aquilo que fazia, definhar, enfraquecer, morrer.
E eis nova planta,
mais leve, mais viva, quase inquebrantável.
O fogo aquece mas consome,
doe, tortura e, enfim,
desfaz em cinzas mais uma parte, mais um pedaço.
Quase que nada mais da ave existe.
Nada...
Nada do que havia antes ficou intacto.
E como esperado, menos pela ave,
os temporais e transitórios dor e lágrimas
trazem inigualável renascer.
Muito mais bela, querida, desejada, encantadora,
a ave enfim vê a gaiola não mais prisão
...mas pacto.
Então em teus olhos me vejo rosa
que desabrocha a perfumar e adornar.
Quando a servi-lo, agrada-lo, sacia-lo:
A Paz de ser caça entre seus dentes.
Nos rabiscos, riscos, desenhos, obras primas que me deixa...
as marcas no meu corpo-Teu corpo e a força do Seu moldar.
No abandono de estar junto a Ti sou, enfim,
aquela que encontrou repouso, encosto, abraço...
Fênix cativa eternamente.
E renasço tantas, tamanhas, sedentas,
diversas, incompletas, luminosas, repletas...
Habitando o mesmo corpo, tempo e espaço.
E sabes que todas estão, invariavelmente,
sob o julgo de teus laços.
Rainha, inseto, mulher, luz, serva.
Protegida, podada, morta, feliz, dorida, renascida...
Mas não basta.
Cada vez, e sempre mais, me moldar a seus desejos, expectativas.
Sentir que sou motivo de orgulho, prazer.
Merecer seu tempo, seu sorriso, seu olhar, seu cuidado.
Mais que guardar, usar, levar...
Desejo ostentar como baluarte sua coleira
sentindo que estou impregnada por Teu gosto e, assim,
porta-lá com honra, força, calor, paixão.
Fazer-me, ao porta-lá, cada vez mais Tua.
Ser toda delicadeza, tranqüilidade, leveza,
submissão, desejo, e alegria.
Enfim,
renascer algum dia metamorfoseada bela, pura, única
e simplesmente sendo
de forma concreta e verdadeira...
Sua serva 
Obrigada por fazer-me Tua Senhor de mim.

14 maio 2007

Dê-me_By Bela {LD}

Dê-me TUDO e terás TUDO.
Serei carrasco de seu ser...
Deixar-lhe-ei tão atordoada
em vossos próprios pensamentos,
que o que lhe restará
será apenas minha doce e cruel
imagem...
Alimentarei seus sonhos com as minhas sobras,
fazendo com que vejas este alimento
como um banquete.

Esmagarei seus sentimentos,

transformando-os para mim,

ferindo-os, aniquilando-os.

Farei de sua vida um inferno, quente,

sombrio e tão repugnante

que quando entrares em meu mundo,

perceberás que entrastes num

paraíso sem fim.

Conhecerei seus pensamentos e suas vontades...
apenas para contrariar seus desejos
e conhecer sua ira.
Provocarei seu ódio,
seu rancor e suas mágoas,
para que assim eu conheça teu avesso,
suas entranhas mais obscuras.
Suas lágrimas verterão sangue,
já que a dor que as provocarão
virão de teu fraco coração
que baterá no compasso de minhas maldades.

Tentarás, contudo,

livrar-se de minha rede

que cerca-lhe o corpo.

Sim, tentes,

e verás que a cada movimento seu

mais eu me enfronho em teu mundo,

antes teu,

agora Meu.

Ficarás disforme,
não em tua aparência,
mas como massa que se molda com o desenho desejado.
Brincarei com você e serei vosso Deus.
Rogarás inicialmente pela liberdade...
Mas estarás a caminho de uma prisão consensual
e absolutamente segura.
Serei Tua cruz,
Teu confessionário,
Teu catecismo e
Teu pão.
Jorrarás teu vinho por mim
e pecarás por nós.
Desejarei fazer-te muitas para mim,
aquela que me ama, a que me odeia,
a que me acompanha, a que se esconde,
a que se humilha, a que me maltrata,
mas todas absolutamente minhas.
Completar-me-ás e nos acrescentaremos.
Somaremos e eu te subtrairei
para multiplicarmos.
Dividiremos anseios, ansiedades
e saciaremo-nos.
Dê-me tudo
e terás tudo.
Ofereça-se á mim,
entregue-se, permita-se,
e assim conhecerás a ti mesmo
olhando em vosso espelho
e enxergando a mim:
Criador teu.
Dificultar-lhe-ei os passos...
Prenderei vossos movimentos...
Quando presa sentir-se-a livre como pássaro e voarás alto.
Ao soltar-te serás frágil,
engaiolada sem jaulas,
encarcerada sem ferros,
aguardando o momento supremo,
onde eu pouso minhas mãos sobre meu colo,
chamando-te, ordenando-te,
e esperando que chegues,
que se aninhe,
neste colo que é teu
purgatório e paraíso.

Sou Dono de teu ser. Não sabes?

Permitirei que vivas,

apenas para que

morras de amor por mim.

Bela {LD}

{red angel}_GUARDIÃO